• Informe-se
  • Notícias do MPT/AL
  • Aguardando firmar contrato, cooperativa de catadores de Marechal Deodoro recebe orientações sobre importância de gerir atividade

Aguardando firmar contrato, cooperativa de catadores de Marechal Deodoro recebe orientações sobre importância de gerir atividade

Com incentivo do MPT, município deverá apoiar Coopmar pela coleta domiciliar de materiais recicláveis

Maceió/AL – O Ministério Público do Trabalho (MPT) continua dando continuidade às ações para buscar o incentivo à geração de emprego e renda, por meio da coleta de materiais recicláveis em municípios alagoanos. Na manhã da última quinta-feira, 24, trabalhadores da Cooperativa de Trabalho dos Catadores de Marechal Deodoro (Coopmar) receberam orientações sobre a importância de realizar a atividade de forma regular.

O objetivo é cumprir metas, dentre elas a regularidade no trabalho, para que a Coopmar assine o contrato - já definido - com o Município de Marechal Deodoro para realizar a coleta de recicláveis nos domicílios da cidade e regiões litorâneas. Com incentivo do MPT, por meio de um Procedimento Promocional, o contrato permitirá que a pessoa jurídica da Coopmar possa compartilhar entre seus membros, pelo menos, o valor de um salário mínimo.

Responsável por conduzir as tratativas entre os cooperados e o município, a procuradora do MPT Adir de Abreu ressaltou que todos os trabalhadores terão um retorno financeiro adequado com um serviço que beneficia, além dos próprios cooperados, a sociedade e o meio ambiente. “Os cooperados devem entender que exercem uma atividade profissional tão digna quanto qualquer outra. Nossa visita também foi no sentido de ressaltar que eles estão recebendo orientações para dar andamento à atividade, mas futuramente administrarão a cooperativa de forma independente, já que uma cooperativa é uma pessoa jurídica, como uma empresa, que possui apenas regras diferenciadas. Não se trata de assistencialismo.”, explicou Adir.

Adir de Abreu ressaltou que todos os trabalhadores terão um retorno financeiro adequado com um serviço que beneficia, além dos próprios cooperados, a sociedade e o meio ambiente (Ascom MPT/AL)
Adir de Abreu ressaltou que todos os trabalhadores terão um retorno financeiro adequado com um serviço que beneficia, além dos próprios cooperados, a sociedade e o meio ambiente (Ascom MPT/AL)

Fundada em fevereiro de 2017, os cooperados - oriundos do antigo lixão de Marechal Deodoro - conseguem atualmente, com seu trabalho de catadores, cerca de R$ 500 mensais pela coleta de garrafas pet, papelão e outras embalagens coletadas em Marechal. Desde sua fundação, segundo o projeto Ser + (uma das instituições que apoia a cooperativa), a Coopmar aumentou em cerca de 500% a coleta de materiais e comercialização dos produtos.

Trabalho realizado por cooperados aumentou a comercialização dos materiais recicláveis em 500%
Trabalho realizado por cooperados aumentou a comercialização dos materiais recicláveis em 500%

Repetir exemplo

O Ministério Público do Trabalho busca que o Município de Marechal Deodoro repita o exemplo de sucesso do convênio firmado, em maio de 2017, entre quatro cooperativas de coleta seletiva de Maceió e a prefeitura da capital. Coopvila, Cooplum, Coprel Serraria e Coprel Benedito Bentes passaram a ser remuneradas com R$ 40 mil mensais pelo pagamento da coleta domiciliar. A medida contemplou, inicialmente, 16 mil residências em oito bairros da capital e, segundo o município, a estimativa é de que a contratação aumente em até oito vezes o faturamento das cooperativas.

Cooperativa foi criada há cerca de dois anos e atende à cidade de Marechal e regiões litorâneas do município
Cooperativa foi criada há cerca de dois anos e atende à cidade de Marechal e regiões litorâneas do município

 

Notícias relacionadas
Trabalho e renda: MPT discute criação de cooperativa de coleta seletiva no Eustáquio Gomes

MPT e cooperativas comemoram assinatura de convênio para a coleta seletiva domiciliar em Maceió

Imprimir